Aquário Turnover

quinta-feira, 30 de junho de 2011

QUER CONHECER UMA PESSOA, DÊ PODER A ELA!

Amigo(a) leitor(a),
Seja mais uma vez bem vindo(a)!
Quero agradecer o carinho que venho recebendo através de mensagens e comentários positivos sobre os artigos postados em nosso blog. Pessoas que se identificam com as situações e passam a acompanhar semanalmente.
Através destes post's, empresas e prefeituras estão nos convidando para palestrar para seus colaboradores e assim ajudam a difundir essas reflexões.

Essa semana, o tema da coluna surgiu através de alguns amigos, colegas de trabalho e principalmente, daquilo que tenho vivido ao longo da minha experiência profissional e das consultorias em empresas.
Com certeza você já ouviu a expressão “Se você quer conhecer uma pessoa, dê poder a ela!”. Pois bem, é isso mesmo!
Num tempo onde o tema “liderança” está mais evidente do que nunca, numa tentativa de conscientização de líderes, chefes, encarregados, supervisores, diretores de empresas para uma gestão mais humanizada, vislumbrando sempre a otimização de resultados, a melhoria das condições de trabalho (principalmente do clima organizacional), sempre me deparo com profissionais insatisfeitos, que dizem que treinamentos, palestras, livros, entre outros, não resultam em nenhuma melhoria dentro de seus ambientes de trabalho, pois tudo é bonito na teoria, mas na realidade nada acontece.
Muitos destes profissionais ficam sonhando com uma oportunidade de promoção para poderem mostrar, enfim, como gostariam de terem sido liderados. Projetam que se assumirem, tudo será diferente!
Outros profissionais, já na função de líderes, fazem seu trabalho de forma “morna” (não mudam nada, apenas continuam o que já estava sendo feito ou não antes da sua chegada) e ficam à espera de uma nova promoção.
Dá para ser diferente sim!
Se fizermos uma busca, não faltam exemplos de líderes que realmente fizeram revoluções nas empresas, nos resultados e principalmente nas pessoas que estavam em suas equipes, que deveriam ser seguidos com maior freqüência. Líderes como Frederico Curado (Embraer), Alessandro Carlucci (Natura) e Ivan Zurita (Nestlé/Brasil) que constroem juntamente com suas equipes onde querem chegar, deixando claro a todos os colaboradores qual é a missão de cada um deles dentro da organização e principalmente, para onde estão caminhando.
Líderes como Michelangelo, que ao produzir a estátua de Davi, disse “Apenas tirei da pedra de mármore tudo o que não era Davi”, deixando claro que o mérito pela obra não é algo do qual você tenha que se orgulhar eternamente, nem tampouco se afogar neste devaneio. Tem líder que costuma comentar que um colaborador só foi brilhante porque ele (o líder) permitiu ou ajudou. Quer ser o eterno gênio da lâmpada e jamais admite a genialidade de seus liderados.



Nelson Mandela, Bernardinho e Zilda Arns, que sempre fizeram mais do que era o esperado, que cuidaram do todo e não apenas de parte do problema, que inspiraram pelos seus valores, de modo que educassem através de seus exemplos, liderando dentro e fora da empresa, do governo, da quadra ou da ONG. Foram liderem que puderam colocar o sonho dos seus liderados acima de tudo, mostrando que ele era apenas a ferramenta que tornaria o sonho deles mais próximo. Nunca serão esquecidos pela história pelo fato de não terem brilhado sozinhos.
Infelizmente, ainda é comum nos depararmos com pessoas que assumem a cadeira do líder e esquecem de tudo isso. Começam a criar regras e controles que saem do “nada” e vão para o “lugar nenhum”. Querem mostrar que agora tudo vai ser diferente! Que agora tem comando! E nesta hora que tudo pode ir por água abaixo.
Alguns líderes deveriam receber o Troféu “AMEBINHA” (Agente de Melhorias e Estratégias Bestas, Inúteis, Nulas, Horríveis e Absurdas).
Quando um líder “morno” sai e entra outro querendo “ferver” tudo de uma vez só, pode esperar por problemas. A fervura tem que ser dosada conforme cada objetivo. É de uma forma para cozinhar o ovo, de outra para passar um bom café, outra para cozinhar o feijão, etc.
Muitas pessoas estão deixando empresas, por conta deste tipo de líder, que quer brilhar tanto que acaba tirando o brilho de cada integrante do grupo.
Fica aqui o apelo para os diretores das empresas e organizações em geral. Atentem para seus líderes. Verifiquem se eles estão fazendo seus talentos brilharem! Se estão polindo as jóias da sua empresa ou se estão jogando todos os ingredientes na mesma fervura.
Verdadeiros líderes fazem do limão, uma limonada. Da casca da laranja, um delicioso bolo, das sobras de ontem, um belo prato do dia!
Líderes despreparados poderão fazer um sopão na fervura, que ao esfriar pode acabar virando uma lavagem intragável até a ele próprio.
A verdade é que quando alguém assume o poder, pode correr alguns riscos:
1) Se “borrar todo” por não estar preparado para liderar;
2) Querer mostrar tanto serviço e acabar mostrando sua verdadeira personalidade e se tornar odiado; ou
3) Ajudar as empresas e as pessoas a atingirem seus objetivos e sonhos.

Como você age quando lhe dão poder?
Boa reflexão!
Até a próxima!

Fábio R. Lais
www.turnoverconsultoria.blogspot.com

Nenhum comentário: